7 de jan de 2015

Botucatuenses enfrentam fila gigante para conseguir casa própria

Apesar da construção de conjuntos habitacionais nos últimos anos para viabilizar a construção de moradias populares em Botucatu, tudo indica que a demanda por empreendimentos desta natureza continua bastante aquecida. Essa tese pode ser comprovada diante do grande interesse pelas 71 unidades habitacionais do conjunto residencial Nova Esperança que está em fase adiantada de construção no distrito de Rubião Júnior.

Nesta quarta-feira (7) teve início o agendamento aos interessados em efetuar suas inscrições para participar do sorteio das casas. De acordo com a Secretaria Municipal de Habitação, mais de 3600 pessoas passaram pelo ginásio municipal de esportes, no Bairro Alto.





O atendimento prossegue nesta quinta e sexta-feira, das 9 às 17 horas. Quem passa pelo agendamento recebe um papel com o dia e a hora em que será atendido para efetivar a sua inscrição, além da relação de documentos que deverá apresentar. As inscrições serão feitas de 12 a 16 de janeiro, também no ginásio municipal de esportes.


Apesar do secretário municipal de Habitação, José Carlos Broto, ter percorrido as emissoras de rádio ressaltando que não haveria necessidade das pessoas passarem a madrugada em longas filas para garantir atendimento, um grupo numeroso de pessoas preferiu fazer plantão nos portões do ginásio. A jovem Jaqueline Fernanda da Silva, mãe de dois filhos pequenos que mora com a mãe no Jardim Itamaraty foi a primeira a chegar por volta de 20h30 de terça-feira.

“Passei a noite na fila. Vale a pena qualquer esforço para conseguir realizar o sonho de ter minha casa. Tenho esperança que chegou minha hora”, disse confiante ao receber a senha de número 0001.

O principal problema foi a grande concentração de pessoas no mesmo período, fato que gerou longas filas que contornavam o quarteirão do ginásio. Quem deixou para fazer seu agendamento após as 15 horas foi atendido rapidamente. Cerca de 40 atendentes foram recrutados para realizar o atendimento à população. A expectativa é que nesta quinta e sexta-feira o número de pessoas a serem atendidas diminua sensivelmente.
Daniela Lúcia Cordeiro, que trabalha como monitora comemorou a chance a uma casa, lembrando-se da filha pequena. “Vim fazer o agendamento, pois não tenho mais condições de pagar o aluguel. Quem sabe, com a casa própria, poderei dar uma qualidade de vida melhor para minha filha”, diz.

Já o administrador de terras, José da Silva, morador da zona rural, veio acompanhado do filho, alimentando o sonho de mudar de vida. “Nós que moramos na zona rural, temos dificuldades. Uma casa como essa, em um bairro novo como esse, é nossa oportunidade, por isso viemos até aqui, com a esperança de um novo lar”, argumenta.

Os interessados deverão se dirigir ao ginásio levando um documento com foto. Como no período de agendamento não há necessidade de conferência de dados, a previsão o atendimento aconteça de forma muito rápida. Diante disso, não há necessidade da população passar a madrugada em longas filas. É válida somente uma inscrição por família. 

“É importante que fique claro que o agendamento é obrigatório. Só poderá fazer inscrição quem passar por essa etapa”, informa o secretário municipal de Habitação, José Carlos Broto.

Além disso, Broto fez questão de ressaltar o orgulho pelos atendimentos realizados. “Nunca realizamos um agendamento tão extenso como o de hoje. Tudo ocorreu dentro do previsto, mesmo com o vasto número de famílias participantes. A grande participação neste primeiro dia é algo normal. Para os próximos dois dias acreditamos, que o número diminua. Mesmo assim devemos atingir os sete mil agendamentos”, frisou o secretário.

Depois de realizadas todas as inscrições será marcada a data para o sorteio público que definirá os titulares e os suplentes para a aquisição das moradias. Das 71 casas, 7% serão destinadas a pessoas com deficiência, 5% a idosos e 4% a policiais ou agentes penitenciários. Treze unidades serão destinadas à famílias que vivem em áreas de assentamentos precários em situações de risco. As demais serão sorteadas entre a população geral inscrita.

O Residencial Nova Esperança foi viabilizado pela parceria entre a Prefeitura de Botucatu e a CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano). Os interessados devem ter renda familiar de um a cinco salários mínimos, residir ou trabalhar no município há três anos, não ser proprietário de imóvel e não possuir financiamento habitacional. Policiais devem trabalhar na cidade e idosos devem comprovar idade mínima de 60 anos. Indivíduos sós deverão ter, no mínimo, 30 anos para participar do processo.

Empreendimento - Com custo de R$ 5 milhões, o residencial Nova Esperança está sendo construído ao lado do Residencial Caimã, no distrito de Rubião Júnior. As casas terão dois dormitórios, sala, cozinha e banheiro. As unidades contarão com piso cerâmico em todos os cômodos, azulejos no banheiro e nas paredes da cozinha e muro de divisa entre os lotes. O prazo de financiamento das moradias será de até 25 anos. As prestações serão calculadas de acordo com a renda familiar. (Prefeitura).

Serviço:
Agendamento obrigatório para inscrições ao sorteio de casas
07 a 09 de janeiro de 2015 – 9 às 17 horas
Ginásio Municipal de Esportes “Mário Covas Júnior”
Rua Maria Joana Felix Diniz, 1585
Vila Auxiliadora – Botucatu/SP









 


Nenhum comentário:

Postar um comentário