17 de nov de 2013

Após três provas, trekking define o campeão brasileiro

Caminhantes do enduro a pé percorreram mais de 30 quilômetros no campeonato disputado em Botucatu.

A cidade de Botucatu (SP) recebeu no final de semana o campeonato brasileiro de trekking com três provas sendo realizadas durante dois dias. Duas provas aconteceram no feriado de sexta-feira uma pela manhã e outra à noite e a terceira realizada no sábado ao meio-dia. No total, os praticantes do enduro a pé percorreram mais de 30 quilômetros em três diferentes trilhas da região.




Depois da soma das três provas que foram disputadas ponto a ponto na busca de quem fazia o melhor tempo e percurso, os campeões foram as seguintes equipes: categoria elite – equipe Sedentários de Guarulhos, na graduados equipe “Os Lagartos” de Itu, Trekkers – “GPS” de São Paulo e na categoria Iniciantes – “Buscapé” de Botucatu. A equipe com melhor navegação foi Star Trekking de Bauru. A campeã geral do brasileiro foi a equipe Sedentários de Guarulhos, que levou seu segundo troféu do brasileiro: campeã da sua categoria e a melhor no geral.

A primeira das três etapas foi castigada pelo forte sol que cobria a cuesta de Botucatu. Largando da Estância Bela Vista, na região da Bocaina, os competidores enfrentaram grandes trechos de planícies capazes de dificultar os cálculos de qualquer bom navegador. Além disso, alguns quilômetros dentro de rios e córregos, além do terreno arenoso também dificultaram a vida dos competidores. O ponto alto foi a escalada pela lateral da famosa Cachoeira da Indiana e o encerramento da maior das três provas (12 km) com outro grande trecho sob as linhas ferroviárias.

Trekking4

A segunda e mais temida prova da etapa teve início pontualmente às 20h10 do mesmo dia, dessa vez no bairro de Santo Antônio de Sorocaba. Extremamente desgastados da primeira disputa, os competidores enfrentaram os desafios de uma prova noturna, com escuridão total. Não bastassem as dificuldades da noite, um terreno com mata fechada e grandes trechos dentro de um rio exigiram o máximo dos sentidos dos participantes. Mesmo com todas as dificuldades, o percurso de quase 10 km foi superado por todos, agraciados ainda com um céu extremamente estrelado.

No sábado, o cansaço já estava estampado na face de cada um dos competidores que se preparava para a última das três etapas, realizada na Cantina do Figueira, região das Três Pedras. A superação foi a palavra de ordem entre as equipes que enfrentaram os inúmeros desníveis de terreno que a Cuesta botucatuense oferece com muita garra e determinação. Como não poderia deixar de ser, os trechos com rio foram os que mais exigiram dos participantes, mas as belezas naturais da região, somadas à vontade de cada uma das equipes, fez com que a mais bela das três disputas fosse vencida.

“A maioria das equipes não sabia a dimensão que o esporte tem em Botucatu. Todos disseram que chamou a atenção a diversidade de terrenos que eles encontraram em uma mesma trilha”, comenta Fernando Arena, da organização Pro Cuesta de Botucatu.

Trekking6 Esdras Martins, que já organizou muitas provas pelo Brasil diz que também se surpreendeu pelos locais das provas. “Os participantes ficaram impressionados em descobrir um local como esse pela diversidade do que se encontra em uma trilha, como subida, descida, riacho e morro”, comenta.

A equipe formada por Sulamita Moreira Ribeiro, Mauro Ribeiro, Sandra Moreira e Flávia Meneses Moreira, viajou mais de 1 mil quilômetros entre Paracatu (MG) e Botucatu (SP) para a disputa da prova da categoria trekkers. “O lugar é muito bonito e a gente encontra de tudo em uma mesma prova. Valeu a pena participar”, disse Mauro Ribeiro.

A premiação das equipes aconteceu na noite de sábado no bar Bem Dito, no Jardim Paraíso. Além da parceria da prefeitura de Botucatu por meio da subsecretaria de turismo, a competição também contou com apoio da RRV Engenharia.

Trekking em Botucatu: 14 99797-3917.

Fotos: Lucas Machado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário