3 de abr de 2016

Campanha com fã clube tenta ajudar garota especial conhecer o cantor Luan Santana

Mãe e a filha especial.
Laura Medeiros, de 12 anos, que ficou conhecida em Botucatu através de um pedido de uma cadeira especial para estudar e se alimentar, agora quer realizar outro sonho: conhecer o canto Luan Santana que estará no aniversário da cidade em abril. Fã incondicional do cantor, ela até fez um vídeo onde pede para conhecer o artista. Segundo a mãe da criança, ela tem pôster pelo quarto e canta todas as músicas.
Uma campanha também foi iniciada na rede social Facebook onde amigos e até fã clube do sertanejo estão empenhados em ajudar. A Campanha‪#‎LuanVaiVisitarALaurinha‬ ocorre também em outras redes sociais para onde a mensagem seja espalhada como uma tentativa de chegar ao cantor.
Angelica Listone, mãe da menina Laura Medeiros, de 12 anos, que apresenta comprometimento motor e não tem controle dos movimentos do corpo, informou ao Agência14News que uma lutas já foi vencida de ganhar a cadeira especial: ela foi procurada por um representante de um grupo de voluntários, com a notícia de que comprará a cadeira especial que Laura precisa para comer e estudar. O valor desse equipamento é em torno de 3 mil reais.


O assunto começou a ser resolvido depois de ser tema de reportagem no site Agência14News que mostrou o caso nesta semana. Muitas pessoas compartilharam a publicação na internet e se mobilizaram para tentar ajudar.
“Uma mulher veio em casa e disse que com a ajuda de muitas pessoas ela vai conseguir ajudar”, disse a mãe da menina. A pessoa que procurou a família por enquanto pediu anonimato.
Laura, a garota especial, agradeceu a ajuda que está chegando. “Quero dizer Deus abençoe a todos que ajudaram a compartilhar o meu pedido, pois hoje Deus e algumas pessoas ajudaram a comprar a cadeira e a mesa, que vão me ajudar muito. Agradeço de coração a todos e em especial aos que doaram. Estou muito mais muito feliz. Agora só falta a outra parte: de eu conseguir ver meu Luan Santana (risos). Amo todos vocês. Deus é meu pastor e nunca deixará nada me faltar”, comentou a menina em sua página pessoal.
O problema - Laura tem paralisia, perda parcial das funções motoras dos membros inferiores e superiores, sofre de contração involuntária pelo corpo, e faz acompanhamento de fisioterapia na Unesp .
Uma cadeira especial será essencial, “para as atividades escolares e para comer, pois ela não faz nada sozinha”, disse a mãe à reportagem do Agência14News.
 
Situação financeira - Angélica diz que a renda da família não é suficiente para comprar uma cadeira especial dessas que custa em torno de R$ 3 mil.  “Meu marido é autônomo, paga pensão de outro filho, é pintor de carro, mas a crise nos pegou. Não temos renda fixa e a Laura recebe apenas um amparo, mas não cobre todos os gastos que temos. Ela está na sexta série e fico com ela na escola, pois não tem cuidadora”, cita. “Minha vida é toda voltada pra ela, pois depende de mim pra tudo”, completa.
 
Como surgiu a doença - A menina nasceu assim porque, segundo a mãe, foi dado um remédio para ela chamado Dolantina, que faz retardar o parto. “Não tinha médico na hora, só residente, por isso deram a medicação. A médica estava de plantão, mas não no hospital. Fui até advogados, mas ninguém quis pegar o caso”, comentou.
“Alegaram que teriam que brigar com um órgão público e ficariam queimados e ia demorar pra receber a indenização, isso se eu recebesse”, diz a mãe da garota. (Do Agência14News).
Veja mais:

Nenhum comentário:

Postar um comentário