4 de mai de 2015

Botucatu teria sido visitada por importante integrante do governo do presidente Getúlio Vargas

As Fazendas Lageado e Edgárdia foram vendidas para o Governo Federal, no inicio da década de 1930, quando exercia a Presidência da República Getúlio Vargas. Nessa época João Batista da Rocha Conceição já havia falecido (faleceu em São Paulo, em 24 de agosto de 1921) e as Fazendas haviam ficado por herança paras os filhos Edgard e Jane. Jane foi casada com Jorge Pacheco e Chaves. 



Um dos filhos de Getúlio, Manoel Antonio Sarmanho Vargas, conhecido como Maneco, ingressou na ESALQ em Piracicaba tendo se formado na turma de 1936. O que poucos sabem é que quando veio para Piracicaba Maneco foi acompanhado pelo então Chefe de Gabinete do Presidente, o Sr. Luiz Simões Lopes. Dessa visita aconteceu a aproximação entre Luiz e Jorge Pacheco e Chaves, que viria posteriormente a ser Prefeito de Piracicaba. 

Luiz Lopes foi figura de destaque do Governo Getúlio, tendo sido presidente do “Departamento Administrativo do Serviço Público – DASP” (de agosto de 1938 a novembro de 1945) órgão criado para racionalizar e integrar o serviço público nacional, além de buscar qualificar o funcionalismo. Luiz Lopes foi também mentor da criação da “Fundação Getúlio Vargas – FGV”, tendo assumido a presidência da FGV em 1944. O Coordenador do Núcleo vem pesquisando esse assunto e, para surpresa encontrou recentemente um cartão com o brasão da república e a seguinte inscrição em relevo “Presidência da República – Departamento Administrativo do Serviço Público”. No corpo do cartão está manuscrito “Com os atenciosos cumprimentos de Luiz Simões Lopes”.

"Considerando o histórico podemos inferir que Luiz Lopes teve participação fundamental na escolha, pelo Governo Federal, das Fazendas Lageado e Edgárdia para abrigar a Estação Experimental de Botucatu. Mais que isso, muito provavelmente Luiz esteve visitando a Estação entre 1938 e 1945, período em que era presidente do DASP, razão da existência do cartão agora encontrado. Dada a importância histórica do documento o mesmo já foi devidamente colocado em um quadro e já está exposto ao público", disse José Eduardo Candeias do Museu do Café.

Doações – Dentro do projeto “De sua Casa para o Nosso Museu” mais alguns objetos foram recebidos em doação, e já estão expostos ao nosso público. O Sr. Antonio Sueiro doou um torrador de café elétrico. Já a Sra. Maria Joana de Oliveira Ribeiro, doou um telefone modelo pedestal de mesa, da marca “Kellogg”, fabricado nos Estados Unidos. Maria Joana é mãe do monitor Renato Ribeiro. Finalmente o Sr. Waldomiro Rapello Filho doou um moedor de grãos, muito utilizado para moer café, da marca “Spong”, fabricado na Inglaterra. Todos os doadores são moradores da cidade de Botucatu. O Coordenador do Núcleo agradece os doadores por terem escolhido o nosso Museu para receber os objetos, e poder assim perpetuar a história que cada um desses objetos representa.

Campanha do agasalho: Mais uma vez o Museu do Café faz parte da rede de solidariedade formada pelo Fundo Social do Município, para arrecadar agasalhos para os menos favorecidos. Foi instalada uma caixa da campanha logo na entrada da sala principal do Museu. A campanha este ano vai até o próximo dia 8 de maio, e tem como tema a frase “Chique mesmo é ser solidário”. Vamos colaborar.

4 – Números: O Museu fechou o mês de abril contabilizando 2.175 visitantes. Assim, se somarmos ao acumulado do ano já passaram pelo Museu 7.590 visitantes. Já, no período de janeiro de 2006 a abril de 2015, a marca atinge 164.100 visitantes.


5 – Isabel Pacheco: A mostra da artista Isabel Pacheco já foi visitada por mais de 800 pessoas. As telas apresentam as cores fortes e marcantes. Importante lembrar que a mostra vai até o próximo dia 18 de maio e pode ser visitada de segunda a sexta das 8h às 17h e aos sábados, domingos e feriados das 12h às 18h. Vale à pena visitar o Museu e aproveitar para conferir os trabalhos da artista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário