15 de out de 2013

Saiba como identificar possíveis doenças através das unhas

Através da cor, espessura, angulação e superfície, a unha pode ser considerada o espelho do corpo, já que é capaz de refletir as atuais condições de saúde do organismo. Segundo a dermatologista Angélica Pimenta, a unha, assim como o cabelo, sofre com qualquer alteração sistêmica do corpo. 



“Alterações nas unhas devem ser observadas com rigor, pois podem sinalizar desde falta de nutrientes, estresse e micoses até problemas mais sérios, como cirrose hepática, insuficiência renal e colagenoses”, afirma Angélica, ressaltando que “não é à toa que muitos médicos pedem para ver as mãos dos pacientes durante o exame clínico”.

As alterações mais comuns, e menos preocupantes, são as manchas esbranquiçadas e pequenas, resultado de traumas leves provocados, por exemplo, pela retirada em excesso da cutícula. Além disso, linhas finas e verticais (faixas hemorrágicas) decorrentes do rompimento de vasinhos minúsculos também não são motivos de preocupação. Porém, quando as manchas tomam quase toda extensão da unha e não desaparecem, vale a pena consultar um especialista. 

“A presença desses sinais pode indicar inúmeros problemas de saúde, além de possíveis ameaças ao bom funcionamento do organismo”, explica Angélica. Segundo ela, o uso de determinados medicamentos, como os remédios quimioterápicos e alguns antibióticos usados para tratar infecções bacterianas, podem impulsionar a manifestação de manchinhas nas unhas.

Veja abaixo o que as unhas revelam sobre a saúde e fique atento às mudanças na coloração, forma e textura das suas unhas:

Manchas esbranquiçadas: anemia, carência de zinco e proteínas, dermatites de contato (alergias a esmaltes, sabões, detergentes...), psoríase, micoses, intoxicação por metais pesados, insuficiência renal;

Manchas amarelas ou unhas amareladas: frequentes em fumantes, também indicam uso crônico de antibióticos, ingestão em excesso de betacaroteno (precursor da vitamina A, encontrado em cenoura, beterraba, mamão...), diabetes, micoses e males do fígado;
Arroxeadas: micoses, tumores, uso de remédios coagulantes, males cardíacos, lupus eritematoso;

Esverdeadas ou com inchaços, vermelhidão e dor que se expande ao redor dos dedos: infecções bacterianas e micoses;

Metade branca, metade avermelhada: problemas renais;
Faixas negras: disfunções hormonais, micoses, tumores na matriz ungueal, câncer de pele (melanoma);

Fracas, secas, quebradiças, com tendência à descamação: falta de cálcio, além de zinco e vitaminas A, B e E, nutrientes que constituem a unha. Anemia, hipotireoidismo;        
Amarelada, espessa e sem crescimento: distúrbios pulmonares;

Ondulações: geralmente indicam traumas (a espátula de empurrar cutícula é usada com força). Porém, pode se tratar de anemia, doença cardíaca ou pulmonar;

Nenhum comentário:

Postar um comentário