6 de mar de 2015

Artigo: Elas estão à frente dos negócios

Número de empreendedoras aumentou 19% nos últimos dez anos

O empreendedorismo feminino ganha força na economia brasileira. Último levantamento do Sebrae mostra que em uma década (2002/ 2012), o total de empregadoras aumentou 19% no Brasil. Entre os homens, esse aumento foi de apenas 3%. No estado de São Paulo, o número de empregadoras cresceu 13%, mais que o dobro da evolução de homens empregadores, que aumentou 5,4%.

De acordo com o Anuário das Mulheres Empreendedoras e Trabalhadoras em Micro e Pequenas Empresas, realizado pelo Sebrae em parceria com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o país conta com 3,62 milhões de empregadores, dos quais 1,05 milhão (29%) são mulheres.



 “As mulheres estão cada vez mais presentes no mercado de trabalho e também é forte a tendência de escolherem o empreendedorismo como forma de inserção na atividade produtiva, gerando riqueza, além de mais empregos e renda em todo o estado”, diz o diretor superintendente do Sebrae-SP, Bruno Caetano. 

Esse desenvolvimento também tem impacto na quantidade de mulheres que escolhem o empreendedorismo como meio de vida, gerando emprego e renda para milhões de brasileiros.

 “Tivemos um aumento de 66 mil empregadores em São Paulo no período analisado pela pesquisa, com grande destaque nos empreendimentos comandados por mulheres. São Paulo é o estado brasileiro com maior número de mulheres empregadoras, que chegou a 276 mil em 2012. Isso representa 30% do total de 934 mil empregadores paulistas, mostrando que o Estado também tem uma participação relativa de empregadoras acima da média registrada no país”, completa. 

Atualmente, as mulheres correspondem a 31% do total de donos de empresas. Além disso, na última década, o número de mulheres empregadas nas micro e pequenas empresas quase dobrou.

Bianca Barcellos é exemplo de mulher decidia e dedicada que faz parte desses números recentes. Há 4 anos, ela  e o marido assumiram a Confraria da Carne em Botucatu, que traz uma seleção de cortes especiais de peças bovinas com garantia e certificação de origem.

“Há oito meses me dedico exclusivamente à loja e aos clientes. Meu marido sempre trabalhou em grandes projetos de produção e comercialização de carnes de alta qualidade. Com toda essa experiência, acreditamos que ter uma loja seria a melhor maneira de trazer a qualidade que é servida nos principais restaurantes de São Paulo para o público de Botucatu”, explica Bianca.

Bianca sempre se dedicou aos três filhos, mas chegou uma hora em que percebeu que eles estavam crescendo e precisava fazer alguma coisa para continuar se sentindo útil. No começo não foi nada fácil, mas a partir do momento que encontrou equilíbrio, conseguiu conciliar o papel de mãe e de empresária.

“Conciliar as duas funções é bem corrido, pois eu gosto de ter minha casa com tudo em ordem, no seu lugar. E meus filhos têm horários fora da escola para eu conciliar. Ao mesmo tempo quero ter minha loja organizada e limpa. Para dar conta de tudo, tenho uma agenda, onde escrevo tudo que preciso cumprir no dia seguinte, e assim conseguir cumprir com as tarefas do dia”, explica.

A empresária conta que no começo, encontrou alguns obstáculos, principalmente por ser a primeira vez que se arriscava no comando de um negócio. “As maiores dificuldades que passei, foi o fato de não ter experiência anterior em comércio, na parte de fazer nota e de escritório de contabilidade. Além é claro, de não saber como lidar com o público, mas aos poucos percebi que era algo natural e então ficou fácil me abrir e olhar no olho do cliente, construindo relacionamentos”, comemora Bianca. 

Desde que assumiu a gerência percebeu um aumento nas vendas e de novos clientes que aparecem pela primeira vez na loja. O público de Botucatu sabe o que quer e exige qualidade, e os produtos oferecidos na Confraria da Carne suprem essa expectativa.  “Adotamos algumas medidas de ação de marketing como, pesquisa com os clientes sobre seus gostos, entrega com máquina de cartão, aplicação de Canvas na loja, propaganda em revista local, melhora no visual da loja, onde colocamos um pouco da história de como surgiu nossa marca, e o logo de todas as lojas no interior trabalham com o nosso produto, para o cliente ter mesmo uma experiência de compra, além de investir no atendimento”, analisa a empresária.

Bianca contou com a ajuda do Sebrae-SP em Botucatu desde o começo, quando decidiu assumir o negócio. “Procurar o Sebrae foi uma ótima oportunidade para aprender questões que não dominava. Desde o primeiro curso eu me senti acolhida e venho aprendendo muito com as informações recebidas. A principal delas foi saber o quanto é importante ouvir o cliente, conhecer suas necessidades e gostos”, comenta.

As expectativas para o futuro são grandes. Ela já pensa em investir em um mix maior de produtos, além de fidelizar os clientes e continuar a busca por novos apreciadores de carne de alta qualidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário