13 de jul de 2013

Sopas e carnes magras ajudam a manter o peso no inverno

 Programa ‘Meu Prato Saudável’ dá dicas de alimentos para a estação mais fria do ano, quando a tendência é comer mais

         Com a chegada do inverno, estação mais fria do ano, o organismo gasta mais energia para manter a temperatura do corpo aquecida e o principal efeito disso é o consumo imediato de mais alimentos. A fome frequente e a busca por refeições que ofereçam fontes de energia de rápida absorção estimulam a ingestão de massas, pães, bolos e doces.



         Por isso, o programa “Meu Prato Saudável”, da LatinMed em parceria com o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, decidiu orientar a população sobre os alimentos mais indicados para esta época do ano, para que as pessoas não aumentem de peso e comprometam a saúde  (veja dicas abaixo).

 “A necessidade calórica de cada pessoa não costuma ser tão alta quanto a quantidade de alimentos ingerida no inverno”, destaca a médica Elisabete Almeida, diretora do Programa. Somado a esses fatores, é no inverno que as pessoas costumam abandonar a prática de atividades físicas e as comidas calóricas são ainda mais tentadoras. “O consumo exagerado pode resultar em aumento de peso e em, casos extremos, diabetes descompensado e colesterol alto”, afirma.

Algumas orientações podem ajudar a evitar esses problemas, com adaptações das preparações mais consumidas no clima frio, como sopas, carnes, chás e fondues. O controle da alimentação, no entanto, deve ser feito com bom senso. “Se a pessoa quer emagrecer, não deve nunca partir para uma restrição alimentar muito rígida, pois as ‘dietas da moda’ podem causar sérios prejuízos à saúde”, ensina a nutricionista Denise Evazian, do Instituto Central do HC-FMUSP.

Entre as doenças que podem resultar de uma dieta desequilibrada, estão a anemia, úlcera, gastrite, problemas de digestão, além do indesejado efeito sanfona. Um mínimo de gordura também é necessário ao organismo, pois ela é responsável pelo transporte das vitaminas A, K, E e D. “A gordura protege contra choques e é um isolante térmico”, afirma Denise.

         Algumas dicas 
·        Prefira sopas preparadas com legumes batidos, sem adição de creme de leite ou massas. É interessante acrescentar algumas fibras, como o farelo ou fibra de trigo ou o farelo de aveia. As fibras ajudam a regular a função intestinal, manter o colesterol em níveis normais e provocam uma maior sensação de saciedade.

·  Substitua o chocolate quente por um chá com adoçante, que esquenta o organismo da mesma forma, ou prepare com leite desnatado e achocolatado light.

·        Troque os queijos amarelos por queijos brancos ou reduzidos em gordura.

·        Se for comer fondue, dê preferência aos de queijo, preparados com leite desnatado e queijos magros; prefira os vegetais no lugar do pão (como cenoura, pepino, couve-flor, brócolis, chuchu).

·        Se não resistir ao tradicional prato de feijoada, consuma com moderação: arroz, feijão, couve sem bacon e carnes mais magras.

·        Substitua carnes gordurosas por coxão duro e patinho, que podem ser preparados na pressão e consumidas ensopadas.

         O programa
          Lançado em 2012, o “Meu Prato Saudável” é o maior programa de orientação alimentar do Brasil e tem como objetivo conscientizar a população a manter um peso saudável, já que o sobrepeso atinge 50% da população.  Trata-se da reinterpretação da “pirâmide alimentar”, para facilitar o entendimento de uma alimentação equilibrada, com alimentos que os brasileiros já estão habituados.

https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif            A metodologia do "Meu Prato saudável" ensina: preencha metade do prato com verduras e legumes (crus e cozidos) e a outra metade, divida em carboidratos (arroz, massas, batata, mandioca ou farinhas) e proteínas (animal e vegetal). 

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário