27 de nov de 2012

Exames para hepatites, sífilis e HIV até dia 1º

SP inicia campanha para diagnóstico precoce de HIV, hepatites e sífilis
Até 1º de dezembro serão oferecido 150 mil testes em todo o Estado

            A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo pretende realizar, até 1º de dezembro, Dia Mundial de Combate à Aids, 150 mil exames gratuitos para detecção do vírus HIV, além de sífilis e hepatites B e C.

 

         A campanha “Fique Sabendo”, promovida pelo Programa Estadual de DST/Aids em parceria com o Instituto Adolfo Lutz e as secretarias municipais de Saúde, tem como objetivo incentivar o diagnóstico precoce dessas doenças.

         Do total de exames oferecidos, 30 mil serão testes rápidos anti-HIV. Ao todo, 526 municípios do Estado aderiram à campanha, num total de mais de 2 mil unidades de saúde. Foram mobilizados para a ação cerca de 40 mil profissionais de saúde de diferentes áreas (gestores, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais e técnicos de laboratório, entre outros).

Em 262 municípios serão realizadas atividades de testagem fora dos serviços de saúde, e em 257 municípios, unidades abrirão em um ou mais dias no fim de semana dias 24 e 25 de novembro, para expandir o acesso do exame anti-HIV à população. 

         No estado de São Paulo foram notificados 217.390 casos de Aids entre 1980 a junho de 2012. Embora o patamar de novas infecções esteja estável e a taxa de óbito tenha caído nos últimos anos, oito pessoas, em média, morrem todos os dias no Estado vítimas da doença.

“A campanha tem como objetivo alertar a população para a importância de se realizar o exame, que está disponível na rede pública de saúde durante o ano todo”, diz Maria Clara Gianna, coordenadora do Programa Estadual DST/Aids-SP.

A campanha também pretende incentivar pessoas que nunca realizaram o teste a conhecerem o seu status sorológico, independentemente de sua orientação sexual.

“É fundamental que as pessoas com vida sexual ativa façam o teste, para descobrirem se são ou não portadora do vírus HIV. Se o teste der positivo, é importante iniciar imediatamente o seguimento médico”, explica Maria Clara.

Para divulgar a ação foram confeccionados e distribuídos aos serviços de todo Estado 10 mil cartazes, cinco milhões de folders sobre a importância da testagem e 500 mil folders sobre teste rápido, além de 30 mil camisetas e 30 mil coletes para profissionais de saúde envolvidos na campanha.
         
Os testes para sífilis e hepatite B são tão importantes quanto o de HIV. Em caso de soropositividade, possibilita tratamento precoce, interrupção da transmissão de mãe para filho, assim como para parceiros.
       
 O teste rápido do HIV, feito a partir de punção digital, com pequena amostra de sangue, demora cerca de 40 minutos e sua eficácia é igual ao tradicional. Os testes de sífilis e hepatites B e C utilizam a mesma tecnologia do exame para HIV.

O Centro de Testagem do Centro de Referência e Treinamento em DST-Aids, unidade da Secretaria localizada na rua Santa Cruz, 81, na Vila Mariana, próximo ao metrô Santa Cruz, é um dos locais que ficarão abertos no dia 24, sábado, das 9h às 16h.

Informações sobre as unidades que estão participando da campanha podem ser obtidas pelo Disque DST/Aids (0800-16-25-50) e no site www.crt.saude.sp.gov.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário